Entendendo como funcionam as permissões no Linux

Quando entrei no mundo do Linux, através do sistema operacional Ubuntu, que é o que eu uso até hoje, ví logo que teria algumas complicações com os milhões de comandos que aqui existem. Não adiantava tentar decorar todos, assim como decoramos que sempre que fechamos uma janela no Windows precisamos pressionar F5 três vezes, porque isto seria impossível. Então a solução foi mesmo entender a lógica de cada comando, para assim me sentir em casa, usando o Ubuntu.A primeira instrução muito comum, principalmente para quem trabalha com Websites, FTP, etc. é a atribuição de permissões a directórios e arquivos. Sempre precisamos mudar alguma coisa, hora porque o directórios cache deve ter permissões de escrita, hora porque o ficheiro wp-config não deve ser acessível por terceiros. Usando o Windows, é simples: Botão direito do mouse, propriedades, desmarcar/marcar a opção Read-Only. Mas no Linux, as coisas são meio diferentes, em vez de mouses temos o chmod.chmod é o comando para atribuir/alterar permissões de arquivos no Ubuntu, e provavelmente noutras distribuições também. A sintaxe básica é:chmod <codigo> <arquivo ou directório>O objectivo deste artigo é estudar apenas o código das permissões no Linux. Este código é composto por 3 dígitos, sendo que cada um deles representa um dado tipo de usuários. Entre os tipos de usuários, temos os “users”, “group” e others, nesta sequência. Por exemplo, se o código for XYZ, o valor de X representa a permissão para o user, o valor de Y para o group, e Z para others.No comentário, o Rafael Guedes deu uma dica muito boa, para se recordar destes valores do chmod: UGO, onde o U é de users, G de group e O de others. Para calcular o valor de cada permissão, é só usar a seguinte lógica:r= read(4)w=write(2)x=execute(1)Sendo assim, a soma dos valores acima nos dará a permissão a atribuir. Imagine que pretendemos que o User tenha todas as permissões, os usuários de um dado grupo apenas escrita e leitura e os anónimos apenas leitura. Ai o valor do código para U seria 4+2+1=7, para G 4+2=6 e para O 4. Logo, o comando final seria UGO=764:chmod 764 <directorio ou arquivo>Este artigo foi um pouco daquilo que eu já aprendi no Linux, Ubuntu em particular. Mais dicas virão, e se pretende ser notificado quando elas aparecerem, subscreva ao nosso RSS Feed, ou siga-me no Twitter, usando os links que estão no lado direito deste blog.

Receba nossas actualizações por email

Ver Campanhas anteriores.

(Visited 68 times, 1 visits today)
Share